Estão abertas as inscrições para o edital de credenciamento de propostas artístico-culturais de renome local ou regional, com o objetivo de compor a programação cultural do município. Apesar da possibilidade de indicação do evento pretendido, dentro do Calendário Cultural, a habilitação é válida para todo e qualquer evento realizado ou apoiado pela Prefeitura, mesmo que não tenha sido previsto.

Leia mais...

Estão abertas as inscrições para o II Concurso Fotográfico 2018 com o tema “O doce é patrimônio”, no período de 09 de julho a 24 agosto de 2018. Qualquer pessoa pode participar nas categorias: fotógrafo (profissional, amador e estudante, exceto aqueles inscritos na outra categoria) e oficina social.

Os alunos que assistiram à oficina de fotografia que aconteceu durante a Semana Lund terão a oportunidade de colocar em prática tudo aquilo que aprenderam no decorrer das aulas. A ideia é estimular a sensibilidade e a criatividade desses jovens, além de incentivá-los profissionalmente.

Cada participante poderá se inscrever em uma única categoria com até três fotografias coloridas ou em preto e branco.

Neste ano, as fotos devem registrar elementos relacionados à produção artesanal de doces e quitandas tradicionais do bairro Lapinha, registrados como Patrimônio da Cultura Imaterial de Lagoa Santa, que se transformou no projeto “Rota das Doceiras”.

A divulgação da lista de vencedores será disponibilizada no dia 07 de setembro de 2018. A premiação e apresentação das fotos vencedoras serão realizadas durante o Festival de Cultura 2018, na forma de exposição fotográfica.

Leia o edital e participe: 

 

Saiba mais sobre a Rota das Doceiras

É impossível pensar em Lagoa Santa e não lembrar da Gruta da Lapinha, dos doces, quitandas e artesanatos produzidos pelos moradores daquela região. É um trem gostoso demais, gente! Por décadas, eles foram comercializados na feira próxima à Gruta, fazendo a alegria dos turistas e da população.

Infelizmente, com o passar do tempo a tradição foi se perdendo e outras alternativas foram sendo criadas na tentativa de perpetuar esse importante saber, herdado de várias gerações. Mas a gente precisa fazer com que essa cultura tenha espaço na nossa cidade!

No intuito de preservar nossas raízes culturais, a Prefeitura juntamente com a comunidade local e as tradicionais doceiras e quitandeiras, se uniram em prol de um projeto batizado de “Rota das Doceiras”. É um projeto que resgata e valoriza a cultura local, que carrega em seu conceito a hospitalidade mineira e o prazer de bem servir.
No ano de 2017, o modo artesanal de se fazer os doces e quitandas da Lapinha foi registrado como “Patrimônio imaterial do município” um instrumento legal de preservação definido pelo Conselho Municipal de Cultura e Patrimônio Histórico. O que significa que, o modo de fazer os doces na região, tornou-se um meio de valorização do patrimônio cultural imaterial brasileiro e contribui para a formação da nossa sociedade.

Sabe o que a gente quer? Queremos combinar a história com o desenvolvimento sustentável da comunidade, preservando a cultura, o patrimônio e fomentando o turismo na região através de programas que preveem a capacitação e qualificação profissional dos envolvidos.

Dentro deste doce roteiro os visitantes poderão ver de perto os locais de produção e acompanhar como os doces, quitutes e artesanatos são produzidos, e claro, desfrutar de um delicioso passeio pelas atrações turísticas da região, como a Gruta da Lapinha, o Parque do Sumidouro; entre outros.

Venha nos visitar e conhecer esta rota que é uma delícia. Aproveite para dar de presente ou levar para casa uma lembrança de Lagoa Santa.

Informações sobre visitação, agendamentos e encomendas no Receptur Lapinha: (31) 3689-8422, na Rua Guilhermina Pereira de Freitas, 277, Lapinha.

A Prefeitura de Lagoa Santa mantém seu Portal da Transparência, permanentemente, atualizado, informando tudo sobre contratos, convênios e atos do Executivo. Inclusive, somos referência no modelo de atuação desenvolvido pela Controladoria Geral da União e do Estado de Minas Gerais conhecido como Observatório da Despesa Pública - ODP.

De acordo com os princípios da legalidade e da transparência cumpre-nos informar que a Câmara Municipal encaminhou o Projeto de Lei nº 4.808/18 que estabelece mecanismos de seguro para garantir o interesse público nos processos de licitação, o chamado seguro contra a corrupção.

Considerando a possível inconstitucionalidade deste projeto e a insegurança jurídica causada, provavelmente, pela judicialização dos processos licitatórios da Prefeitura pelos próprios licitantes, ou seja, pelas próprias empresas participantes, houve o veto ao referido projeto.

Segue abaixo o veto ao Projeto de Lei nº 4.808/18 na íntegra para conheciment: 

O planejamento das próximas ações do programa “Minha Casa Legalizada” que, atualmente, está finalizando os primeiros bairros, Vila Fagundes e Santos Dumont, está em andamento. Ao final, a Prefeitura vai regularizar mais de 7 mil moradias em toda a cidade.

Ainda não há uma definição quanto às próximas regiões a serem contempladas, mas é provável que sejam São Geraldo, Vila Maria 5 e Morro do Cruzeiro.

Na prática, o processo de regularização se inicia com a identificação de núcleos urbanos informais consolidados, onde moram famílias que não possuem os documentos de propriedade do imóvel, ou seja, estão em situação irregular.

Em seguida, ocorre uma avaliação socioeconômica individual pelo serviço de assistência social que habilita a pessoa a participar do programa. A partir daí, todas as licenças municipais são encaminhadas ao cartório de registro de imóveis e os moradores contemplados são convidados a assinar e receber o documento oficial.

A proposta é ampliar e facilitar o acesso ao título de propriedade pela população de baixa renda e assegurar a melhoria das condições de sustentabilidade urbanística, social e ambiental da região trabalhada.

O programa Minha Casa Legalizada chegou ao bairro Santos Dumont. Se você tem um imóvel neste bairro que ainda não está regularizado este é o momento de deixar tudo dentro da lei. Esta é a oportunidade de realizar seu sonho da casa própria.

Os alunos da Rede Municipal de Ensino aprendem técnicas de cultivo e participam do plantio de hortaliças através do programa “Horta na Escola”. O trabalho desenvolvido dentro de sala de aula tem por finalidade integrar as diversas fontes e recursos de aprendizado ao dia a dia da escola. Além de proporcionar o desenvolvimento de ações pedagógicas que permitem executar atividades em equipe.

Leia mais...